Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Assembléia aprova Projeto Professor Conectado

A Assembleia Legislativa aprovou, nesta segunda-feira, 29, o Projeto de Lei que cria o programa “Professor Conectado”, que foi um compromisso de campanha do governador Camilo Capiberibe. Neste primeiro momento, o Governo do Estado do Amapá irá atender mais de sete mil professores que estejam em sala de aula.

De acordo com o secretário de Estado da Educação, José Maria Lobato, os educadores terão melhor desempenho profissional, acesso a pesquisas e poderão elaborar projetos, tudo isso visando a melhoria da qualidade de ensino no Estado.

“Serão fornecidos computadores àqueles professores que estão em regência de classe, e não somente a máquina em si, mas os programas que vão facilitar o trabalho do docente em sala de aula. E com certeza essa é uma medida que contribuirá excessivamente para a melhoria da qualidade de ensino”, enfatizou o secretário.

A Secretaria de Estado da Educação (Seed) e o Centro de Gestão da Tecnologia da Informação (Prodap) serão os responsáveis pela parte técnica. O secretário enfatiza que o professor assinará um termo de adesão ao programa, onde ele será responsável pelo equipamento e seu uso adequado. “Neste primeiro momento, o governo do Estado irá investir cerca de R$ 15 milhões, sendo R$ 7 milhões do tesouro e R$ 8 milhões de emenda da Bancada Federal”, disse José Maria.

O programa irá funcionar da seguinte forma: o servidor irá receber no seu contracheque um crédito que irá habilitá-lo a adquirir o notebook nas empresas que estiverem credenciadas a fornecer o produto. As lojas serão selecionadas por meio de processo de registro de preço, conforme está previsto no Projeto do Programa Professor Conectado.

Após a aprovação da Assembleia Legislativa, o projeto retorna para o Poder Executivo para implantação.

Adryany Magalhães/Seed

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Tigresa Caetano Veloso


ÀS VEZES TENHO A IMPRESSÃO QUE CAETANO FEZ ESSA MÚSICA PRA MIM, HEHE...



Uma tigresa de unhas
Negras e íris cor de mel.
Uma mulher, uma beleza
Que me aconteceu.
Esfregando a pele de ouro marrom
Do seu corpo contra o meu
Me falou que o mal é bom e o bem cruel.

Enquanto os pelos dessa
Deusa tremem ao vento ateu,
Ela me conta, sem certeza,
Tudo o que viveu:
Que gostava de política em mil
Novecentos e sessenta e seis
E hoje dança no Frenetic Dancin? Days.

Ela me conta que era atriz
E trabalhou no Hair.
Com alguns homens foi feliz,
Com outros foi mulher.
Que tem muito ódio no coração,
Que tem dado muito amor,
Espalhado muito prazer e muita dor.

Mas ela ao mesmo tempo diz
Que tudo vai mudar,
Porque ela vai ser o que quis
Inventando um lugar
Onde a gente e a natureza feliz,
Vivam sempre em comunhão
E a tigresa possa mais do que o leão.

As garras da felina
Me marcaram o coração,
Mas as besteiras de menina
Que ela disse, não.
E eu corri pra o violão num lamento
E a manhã nasceu azul.
Como é bom poder tocar um instrumento.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

A corrupção não é um problema menor

A corrupção não é um problema menor, um detalhe, não é um discurso, como alguns podem querer dizer, udenista. A corrupção é uma das mais dramáticas mazelas não somente do Brasil, mas também do mundo. Em nosso País, lamentavelmente, tomou ares de dramaticidade. E o que estamos fazendo no Senado, com a Frente Parlamentar de Combate à Corrupção, é um alerta. Quando a sociedade deixar de acreditar em suas instituições, em seus senadores, deputados, no Ministério Público, na Polícia Federal, no Executivo, o Estado democrático de direito estará ameaçado.

Temos que reforçar a atuação de instituições que honram a República. E neste país há instituições republicanas e que orgulham os brasileiros, como o Ministério Público e a Polícia Federal. Destaco trecho da nota de esclarecimento da Associação dos Delegados da Polícia Federal sobre sua operação mais recente:“É uma pena que aqueles que se dizem estarrecidos com a violência pelo uso de algemas não tenham o mesmo sentimento diante dos escândalos que acontecem diariamente no País, que fazem evaporar bilhões de reais dos cofres da nação, deixando milhões de pessoas na miséria, inclusive, condenando-as à morte”.

Muitos ficam assustados, estarrecidos, por conta da algema, do vazamento, da foto. Mas esse estarrecimento tem de ser por causa dos milhões que deveriam ter ido para o turismo no Amapá, que poderiam ter dinamizado a economia do meu Estado. Esse estarrecimento deveria ser por causa dos bilhões desviados do Ministério dos Transportes, que poderia ter asfaltado estradas, construído ferrovias, melhorado a infraestrutura aeroportuária às véspera da Copa do Mundo no Brasil. Agora se fala do gado como se o problema não fosse o carrapato, como se o problema fosse o gado. O problema é o carrapato, e o carrapato que está sendo combatido por instituições republicanas, como a Polícia Federal e o Ministério Público, é a corrupção.

A Frente Parlamentar de Combate à Corrupção manda uma mensagem à Presidência da República: Presidente Dilma, conte conosco! Faça a limpeza no Ministério dos Transportes! Faça no Ministério do Turismo! Faça na Agricultura! No Ministério do Turismo tem que demitir o Ministro. Não é possível que o Ministro tenha um secretário executivo, ao lado dele, sendo encarregado pela direção dos negócios da pasta, que não soubesse do esquema que estava sendo montado lá. Faça isso, Presidente, e não se preocupe com o fisiologismo.

Na Controladoria-Geral da União, manifestamos nosso apoio ao Senador Jorge Hage.

Deixamos claro que a presidente Dilma conta conosco, se for necessário, para ir às ruas mobilizar o povo brasileiro para apoiar medidas de combate à corrupção. Que ela não se submeta à chantagem, à pressão de base. Que ela se submeta à confiança do povo brasileiro, que está ao seu lado. Sendo necessário, nós iremos às ruas para defender o seu governo contra o fisiologismo, contra a chantagem, contra o achincalho. Será uma defesa do Brasil, uma defesa da República.

Estamos num momento crucial para o estado brasileiro. Dizem, no grego, que a palavra crise vem de crisol, que é o elemento purificador do ouro. A crise é uma síntese dialética. É nos momentos de maior crise que há o surgimento do novo. Que esta crise das instituições políticas que estamos vivendo hoje seja uma crise para construirmos o novo e refundarmos a República brasileira, desta feita sem a corrupção.

Randolfe Rodrigues, Senador (PSOL-AP)

terça-feira, 16 de agosto de 2011

A UBM e os seus 23 anos de trajetória em defesa da emancipação da mulher


O manifesto fundante, aprovado no dia 6 de agosto de 1988, mantém sua atualidade e expressa o caráter avançado da UBM. O documento dizia: por “um Brasil diferente e isto é parte de uma concepção de igualdade, onde sua metade feminina não seja discriminada por sua condição de cidadã e trabalhadora.”

O slogan “Por um mundo de igualdade contra toda a opressão” revela a marca da UBM. No I Congresso Nacional de Entidades Emancipacionistas de Mulheres, em 6 de agosto de 1988, em Salvador (BA), mulheres de diversas frentes do movimento social e popular - heroínas a seu modo - almejavam edificar uma sociedade socialmente justa e um país soberano, firmando coletivamente seu compromisso de luta. Não foram poucas: 1200 mulheres de norte a sul, de leste a oeste deste imenso Brasil deixam na memória para os dias atuais a necessidade de prosseguir a batalha por um país de homens e mulheres livres.

Na efervescência dos movimentos daquele ano de 1988 – o pós-ditadura, a Constituinte, a expectativa da volta da eleição direta para presidente da República - as ubemistas então alimentavam esperanças de que a nova Constituição pudesse tornar realidade na vida cotidiana de cada mulher. Com a UBM chegava a luta pelo fim da violência, pelo direito ao trabalho e à creche, a saúde universal, os direitos sexuais e reprodutivos, o direito à participação política plena, entre outras defesas.

Foi também nesse cenário de 1988 que o movimento negro reuniu 11 mil pessoas no Rio de Janeiro para contestar os festejos oficiais do centenário da Lei Áurea. Á época aconteceram greves nacionais de bancários, de funcionários federais, dos correios de São Paulo. Foi nesse período que se deu a greve da CSN, atacada pelo exército quando três operários perdem a vida. Mas também uma ampliação do direito à cidadania foi gravada com a aprovação do direito de voto aos 16 anos, atendendo reivindicação da União da Juventude Socialista (UJS).

Os anos 80 foram cenário de um amplo movimento de conquistas democráticas dos movimentos sociais no Brasil, incluindo o movimento feminista. Sindicatos e entidades populares fortaleceram-se, as suas demandas ganharam visibilidade pública, as aspirações por uma sociedade justa e igualitária expressaram-se na luta por direitos, que acabaram se consubstanciando na Constituição de 1988. As políticas públicas ganharam relevo e surgiram os Conselhos de debate e gestão dessas políticas, de defesa de direitos, nas áreas de saúde, criança e adolescente, assistência social, educação, da mulher, entre outras.

Neste breve texto, queremos expressar nossa saudação a todas as mulheres que encontraram e encontram na UBM uma perspectiva presente e futura de emancipação. Destacamos aqui as coordenadoras que contribuíram para a consolidação da Entidade e que contribuirão com artigos que irão resgatar a memória de lutas da Entidade, os quais serão publicados no site da UBM.

A primeira coordenadora nacional da UBM foi Maria Socorro Jô Moraes, eleita no Congresso de fundação em 1988. Neste Congresso, a UBM já se forja com a perspectiva da corrente emancipacionista, além de indicar a luta pelo direito ao trabalho e pela creche.

Gilse Maria Westin Cosenza foi coordenadora nacional da UBM durante duas gestões, de 1991 a 1996. A luta pela ampliação da representação feminina, o debate da política de cotas, a luta pela igualdade de salários, transformações do perfil da mulher trabalhadora, a importância da atuação com sindicatos e associações foram temas que marcaram os Congressos nesse período.

Maria Liége Santos Rocha também coordenou a Entidade por duas gestões de 1996 a 2000. A UBM ampliou sua integração com o movimento feminista internacional, os congressos aprofundaram os debates sobre a concepção da corrente emancipacionista e aprovaram lutas por políticas públicas nas áreas de trabalho, saúde, entre outras. A UBM participou das articulações nacionais de mulheres, como a Articulação de Mulheres Brasileiras (AMB) e a Rede Feminista de Saúde, e se filiou à Federação Democrática Internacional de Mulheres (FDIM).

Kátia Souto esteve à frente da UBM no Congresso de 2003, realizado em Salvador. No Congresso realizado em 2003, em Salvador, a UBM aprofunda a discussão sobre o feminismo emancipacionista tendo a contribuição inestimável da saudosa Loreta Valadares. Em 2004, assumiu Eline Jonas, que foi reconduzida em 2007 no Congresso em Luziânia (GO). Neste, tiveram centralidade temas como mulher e poder, trabalho e desenvolvimento, direitos sexuais e reprodutivos, violência, mídia e gênero.

Em 2011 foi eleita Elza Maria Campos. Neste Congresso a pauta central foi a participação política da mulher e o novo projeto nacional de desenvolvimento. Neste período, as mulheres conquistaram uma lei que previne, combate e pune a violência doméstica; o direito ao planejamento familiar como livre decisão; a cota mínima de 30% por sexo nas candidaturas para as eleições proporcionais.

No caminho percorrido ao longo de duas décadas, alguns desafios foram superados via conquistas consignadas em lei. No entanto, muita coisa ainda precisa se tornar realidade na vida das mulheres, em especial para aquelas que moram mais distantes do alcance do Estado e das políticas públicas. A efetivação de políticas públicas que possibilitem o atendimento às mulheres em situação de violência, o atendimento na rede de saúde, o acesso à educação, à reforma agrária, à reforma urbana, o direito à comunicação e a luta por um novo projeto nacional de desenvolvimento que garanta o avanço da igualdade social e das liberdades políticas, além da aprovação de uma reforma política que coloque a perspectiva real de empoderamento das mulheres - ampliando sua participação e avanços na conquista dos espaços de poder e decisão – o que ainda demanda muita luta.

Isto exigirá do movimento emancipacionista que a União Brasileira de Mulheres defende, a materialização cotidiana do compromisso firmado historicamente de criar condições, no presente, para garantir as conquistas almejadas e aprovadas no 8º Congresso Nacional da UBM, na luta pela libertação das mulheres e do povo contra toda discriminação e por igualdade de direitos.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Hino de Duran Chico Buarque


Se tu falas muitas palavras sutis
Se gostas de senhas sussurros ardís
A lei tem ouvidos pra te delatar
Nas pedras do teu próprio lar

Se trazes no bolso a contravenção
Muambas, baganas e nem um tostão
A lei te vigia, bandido infeliz
Com seus olhos de raios X

Se vives nas sombras freqüentas porões
Se tramas assaltos ou revoluções
A lei te procura amanhã de manhã
Com seu faro de dobermam

E se definitivamente a sociedade
só te tem desprezo e horror
E mesmo nas galeras és nocivo,
és um estorvo, és um tumor
A lei fecha o livro, te pregam na cruz
depois chamam os urubus

Se pensas que burlas as normas penais
Insuflas agitas e gritas demais
A lei logo vai te abraçar infrator
com seus braços de estivador

Se pensas que pensas estás redondamente enganado
E como já disse o Dr Eiras,
vem chegando aí, junto com o delegado
pra te levar...

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Operação da PF em Brasília e no Amapá. Operação Voucher

Andréia Sadi e Débora Santos Do G1, em Brasília

Secretário-executivo do Turismo está entre os 38 presos em operação da PF

PF diz que ação visa ‘combater desvios’ em verba de emendas parlamentares.

O secretário-executivo do Ministério do Turismo, Frederico Silva da Costa, que tem o cargo mais importante da pasta depois do ministro, está entre 38 presos na Operação Voucher da Polícia Federal, deflagrada na manhã desta terça-feira (9).

Conforme a PF, a ação visa “combater o desvio de recursos públicos destinados ao Ministério do Turismo por meio de emendas parlamentares ao Orçamento da União”.

O G1 procurou a assessoria de imprensa do ministério, que disse que ainda não tem informações sobre a operação. Dirigentes do ministério estão reunidos com a consultoria jurídica da pasta para decidir quais procedimentos serão adotados.

Conforme a PF, a operação contou com 200 agentes que cumpriram 19 mandados de prisão preventiva (sem prazo determinado), 7 de busca e apreensão e outros 19 de prisão temporária (de cinco dias prorrogáveis por mais cinco dias), em Brasília, São Paulo e Macapá (AP).

Além do secretário-executivo, foi preso o secretário nacional de Desenvolvimento de Programas de Turismo, Colbert Martins da Silva Filho, um ex-presidente da Embratur, além de empresários, diretores do ministério e funcionários do Instituto Brasileiro de Desenvolvimento de Infraestrutura Sustentável (Ibrasi). O G1 tenta contato com dirigentes do Ibrasi.

Só em Brasília foram cumpridos 10 mandados de prisão preventiva, 2 de busca e apreensão e 5 de prisão temporária. Todos os presos temporários serão transferidos para Macapá, segundo a Polícia Federal.

Conforme a assessoria do ministério, o ministro do Turismo, Pedro Novais (PMDB), está em São Paulo e chega a Brasília no começo da tarde desta terça.

A Operação Voucher foi realizada pela superintendência regional da PF no Amapá, com o apoio das superintendências regionais em São Paulo e no Distrito Federal.

Investigação
Em nota, a PF afirma que foram detectados indícios de desvio de dinheiro público em um convênio que previa a qualificação de profissionais de turismo no Amapá.

O convênio foi assinado entre o ministério e o Ibrasi em 2009, e de acordo com a PF, não teria tido chamamento público para que outras entidades se candidatassem a oferecer o serviço.

Ainda de acordo com a PF, o instituto – que é uma organização sem fins lucrativos – não tinha condições técnicas de prestar os serviços de qualificação.

De acordo com a PF, houve ainda direcionamento de contratações a empresas que fariam parte do suposto esquema de desvio. Além disso, foi verificada ausência de preços de referência, não execução ou execução parcial de serviços, pagamentos antecipados, fraudes nos comprovantes de despesas e falhas na fiscalização do convênio.

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Pílulas dos meus 30 anos

Aprendi com minha mãe a ser corajosa. E a não abrir mão de lutar por minha felicidade. Ela me ensinou a trabalhar de maneira obsessiva. Mas sempre fazendo do trabalho algo que me realize. Quando éramos crianças, os cinco irmãos, ela assinava aos bilhetes com Ana Lucia "mmm". Mãe, magistrada e mulher. Ou seja, era um todo. Não era apenas a mãe que cuidava dos filhos, a magistrada apaixonada pela profissão ou a mulher que agarrava com unhas e Dentes as chances para ser feliz. Era tudo isso. E tudo o que ela quisesse ser.
Nesses 30 anos aprendi com ela a estar presente quando preciso e a cuidar de mim mesma quando necessário. Aprendi a amar incondicionalmente a quem me ama e lutar para que aqueles que não me gostam não estejam próximos.
Recentemente, por problemas que eu vivia, recebi um email dela me
Recordando que aos 28 anos ainda não havia voltado para a faculdade de direito, tinha três filhas para criar, dava aulas de violão para sustenta-las. E que havia mudado tudo. Com garra.
É isso. Minha mãe me ensinou a ter garra. Coragem. Para tudo. É o que carrego comigo nesses 30 anos. E que seguirei carregando nos próximos 30.
-----------
Hoje começarei a escrever um pouco sobre os meus 30
Anos


Escrito por Manu às 12:23 1 comentários

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

O Sal da Terra Beto Guedes

Anda!
Quero te dizer nenhum segredo
Falo nesse chão, da nossa casa
Vem que tá na hora de arrumar...

Tempo!
Quero viver mais duzentos anos
Quero não ferir meu semelhante
Nem por isso quero me ferir

Vamos precisar de todo mundo
Prá banir do mundo a opressão
Para construir a vida nova
Vamos precisar de muito amor
A felicidade mora ao lado
E quem não é tolo pode ver...

A paz na Terra, amor
O pé na terra
A paz na Terra, amor
O sal da...

Terra!
És o mais bonito dos planetas
Tão te maltratando por dinheiro
Tu que és a nave nossa irmã

Canta!
Leva tua vida em harmonia
E nos alimenta com seus frutos
Tu que és do homem, a maçã...

Vamos precisar de todo mundo
Um mais um é sempre mais que dois
Prá melhor juntar as nossas forças
É só repartir melhor o pão
Recriar o paraíso agora
Para merecer quem vem depois...

Deixa nascer, o amor
Deixa fluir, o amor
Deixa crescer, o amor
Deixa viver, o amor
O sal da terra