Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Dilma condena 'apedrejamento moral' de Orlando Silva


A presidente Dilma Rousseff disse nesta quinta-feira em Luanda que não se pode fazer "apedrejamento moral de ninguém", referindo-se às notícias de que o ministro do Esporte, Orlando Silva, participou de um esquema de desvio de dinheiro público da pasta. Segundo a presidente, os fatos serão apurados e se houver culpa haverá punição. "Nós temos de apurar os fatos, nós temos de investigar. Se apurada a culpa das pessoas, puni-las. Agora isso não significa demonizar quem quer que seja, muito menos partidos que lutaram no Brasil pela democracia", disse a presidente, referindo-se ao partido do ministro, o PCdoB.

Leia também:
Vaccarezza já fala em demissão de Orlando Silva
PC do B se prepara para desfecho do caso Orlando Silva

Dilma definiu como "tolice" as especulações de que o governo estaria enfrentando dificuldades com o partido aliado, por conta desse episódio."Isso é uma tolice. Dizer que o governo está fazendo julgamento de um partido é uma tolice. O meu governo respeita o Partido Comunista do Brasil e acha que o partido tem quadros absolutamente importantes para o País. Nós não vamos entrar nesse processo irracional".

A presidente queixou-se ainda de notícias publicadas na imprensa sobre observações que ela teria feito sobre a situação do ministro Orlando Silva. "Eu li com muita preocupação as notícias do Brasil. Primeiro, pelo grau de imprecisão nas observações a respeito do governo. O governo não fez, não fará nenhuma avaliação e julgamento precipitado de quem quer que seja", afirmou. "Eu não falei com ninguém e vazam aspas minhas. A gente tem que ter um processo sistemático de investigação e apuração de todos os malfeitos", afirmou a presidente, ressalvando que "é preciso sempre se supor a presunção da inocência das pessoas".

Dilma falou aos jornalistas ao deixar Luanda com destino ao Brasil. Ela disse que ao chegar vai olhar tudo com tranquilidade para depois tomar as oposições necessárias "para preservar não só o governo mas os interesses do País". A presidente aterrissa em Brasília às 17h45.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Anotem

Anotem
Alcilene Cavalcante em 11 de outubro de 2011

Pergunto: Qual o problema da primeira-dama Cláudia Capiberibe ter exercido cargo no Tribunal de Contas?

É uma atividade ilegal? Não! A Claudinha foi envolvida em algum escândalo? Não.

E qual é a verdade sobre o assunto “Claudinha ter sido assessora do TCE”?

Bom deixar claro, que isso pode ser novidade para a imprensa nacional, mas no Amapá todos os meio políticos e jornalísticos sabiam disso, até por que esse assunto rolou muito na campanha política de 2010.

A hoje primeira-dama Cláudia Capiberibe, assumiu um cargo no Tribunal de Contas do Estado no ano de 2004, quando seu marido Camilo Capiberibe, nem tinha mandato ainda. Cláudia é advogada, qualificada e bem formada. Tinha dificuldade em se inserir no mercado por carregar o sobrenome do ex-governador Capiberibe, que naquele momento passava por uma verdadeira deconstrução de sua imagem pelo “povo da harmonia”. O então presidente do Tribunal de Contas do Estado, Manoel Antonio Dias, foi quem a convidou para o cargo e desde então Cláudia se manteve na função, até o ano de 2010.

Suas atividades naquela instituição eram meramente técnicas e distantes do centro de decisões. Digo isso por que sei dessa história toda, desde o início.

Claudinha é primeira-dama, foi esposa de deputado, mas é principalmente uma pessoa de vida e hábitos simples.

E podem dar print nesse post e me cobrar: Cláudia não vai se envolver em nada que lhe desabone. Tem o meu respeito, a minha amizade e consideração.

Anotem

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Estrutura para cobertura do estádio Zerão já está na obra



Começaram a desembarcar no local da obra a ferragem em material especial que será utilizada para a cobertura do Estádio Estadual Milton de Souza Corrêa, o Zerão. A estrutura, que chegou em três carretas, será montada no chão e içada através de um guindaste que também virá de fora do Estado, para ser erguida já pronta.

De acordo com o projeto, a cobertura será projetada para combater os esforços do vento e irá cobrir todos os assentos do estádio. A opção pelo material especial foi definida tendo em vista vantagens técnicas, econômicas e de sustentabilidade.

Antes de ser montada, tanto a estrutura metálica quanto a física, será periciada pelo engenheiro Arquimino de Ataíde, de Belém do Pará, mestre em cálculo estrutural.

\"Nós reconhecemos que a obra está lenta, mas já chamamos a empresa responsável pelos serviços e pedimos mais empenho para que possamos entregar a obra na data prevista. Em relação a cobertura metálica, a demora é só a montagem para colocar no lugar a estrutura pronta, e isso deve acontecer em pelo menos duas ou três semanas\", esclareceu o secretário de Estado da Infra-Estrutura, Joel Banha.

Além do telhado, o projeto prevê a primeira etapa de reforma e ampliação, que inclui as arquibancadas, gramado, redes hidráulica e elétrica, construção da base para a pista de atletismo, urbanização e paisagismo da área exterior.

A obra do Estádio iniciou em 2008, porém, a empresa responsável paralisou o serviço alegando ser inviável continuar pela defasagem na planilha de custo. O recurso da emenda é de mais de R$ 7 milhões, sendo que, pelo tempo que ficou depositado na Caixa Econômica, houve incidência de juros de R$ 1,3 milhão.

José Menezes
Assessor de Comunicação Social
Secretaria de Estado da Comunicação Social