Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Manuela é destaque no desfile de escola em Porto Alegre




A deputada federal Manuela D'Ávila (PCdoB-RS) foi destaque em um dos carros alegóricos da Imperatriz Dona Leopoldina no Carnaval de Porto Alegre. A escola de samba abriu a noite de sexta-feira (17) na capital gaúcha com uma homenagem à União Nacional dos Estudantes (UNE).


Começou com emoção e homenagens a primeira noite do Carnaval de Porto Alegre. Além de levar à avenida o tema "A UNE somos nós, nosso samba, nossa voz - 75 Anos de Cara Pintada de Brasil", a escola prestou reverência à Dona Nena, conselheira da escola que morreu em um acidente de trânsito no último fim de semana.

"Desfile emocionante. Minha primeira vez num carro. Um dos mais lindos anos da Escola", disse Manuela, que desfila há 11 anos na escola, no Twitter. A Imperatriz tem 32 anos e ganhou o Carnaval de Porto Alegre apenas uma vez, em 2010.

A escola entrou na avenida com 1,6 mil integrantes, divididos em 14 alas, 4 alegorias e com o samba-enredo "75 Anos De Cara Pintada De Brasil - A UNE somos nós, nosso Samba, nossa Voz!".

domingo, 5 de fevereiro de 2012

UBM EMITE NOTA DE APOIO À MINISTRA ELIANA CALMON



OConselho Nacional de Justiça (CNJ), criado pela Emenda Constitucional 45 de 30/12/2004 e com objetivo de exercer o controle externo do Judiciário, é resultado da luta pela democracia plena e combate à impunidade da Magistratura. A frente do CNJ – desde setembro de 2010 – está a Corregedora nacional a Ministra Eliana Calmon do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), que vem sendo alvo de ataque do corporativismo do Judiciário sob acusação de quebra de sigilo bancário e fiscal dos Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Esta alegação, já rebatida diversas vezes em entrevistas coletivas, limitaram o poder de controle da Corregedoria.

Vivemos num país democrático onde pela lei “todos são iguais.." e nos parece que o Judiciário não faz parte desta sociedade. Vivem encastelados, acima do bem e do mau, julgando e punindo como donos da verdade, quando sabemos que - muitas vezes - por trás das togas encontram-se "bandidos infiltrados", como disse a Ministra em recente entrevista.

A atuação da Ministra neste curto espaço de tempo tem sido exemplar. Com determinação, competência e muita coragem, enfrenta seus opositores, cumprindo fielmente seu papel de zelar pela justiça. Todos aqueles que a cumprem não deveriam temer qualquer tipo de investigação. Foram listados, especialmente nos Tribunais de São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, 3.426 transações atípicas envolvendo juízes, desembargadores e funcionários com movimentação financeira entre 2000 e 2010 de mais de 850 milhões. Somente no Tribunal Regional do Trabalho TRT/RJ foi movimentado 283 milhões em um único ano.
Desde a criação do CNJ, 49 magistrados foram condenados com aposentadoria compulsória e afastados por decisão judicial. Somente no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ/SP), 45% dos magistrados não declararam Imposto de Renda.

Temos que reconhecer que é necessário muita coragem para enfrentar os crimes do “colarinho branco” e da "máfia da toga”. Nós, que lutamos por um Brasil mais justo e igualitário e pelo empoderamento da mulher, apoiamos a Ministra em suas ações e a restauração dos poderes do CNJ.